domingo, 9 de junho de 2013

Se humor, sonho e contralógica são recursos a serem utilizados para libertar o homem da existência utilitária e essa é a essencia do Surrealismo, pode-se dizer que desde o disco “Mutation”, Beck  tem incrementado suas músicas com essa influência artística, assim como tudo relacionado ao trabalho do cantor.  Dia desses caiu na minha rede o videoclipe da música "Heaven Can Wait" do Beck com a participação da linda herdeira de Serge Gainsbourg, Charlotte, dirigido pelo ícone cult Keith Schofield.  O resultado ficou digno de uma imaginação de Chuck Jones. As mentes bizarras de Keith e Beck somadas criaram cenas originais e uma atmosfera surrealista interessantíssima.
Em algumas das cenas do clipe é possível capturar imagens que fazem referências à artistas e obras expressivas do movimento surrealista no séc. XX. Apesar da maior parte do videoclipe ser resultado das idéias pouco convencionais de ambos artistas, em meio às cenas consegui reconhecer algumas representações famosas do surrealismo na obra de Keith e Beck, seguem:


O retrato de Edward James (1937) obra de um dos mais importantes artistas do Surrealismo René Magritte.




Auto-retrato com e sem barba de Man Ray, fotográfo inovador do movimento dadaísta e surrealista.




Cena do filme O Anjo Exterminador (1961) do diretor Luis Buñuel, aclamado pelo filme A bela da Tarde ( Belle de Jour) repleto de elementos surrealistas.



Certamente os observadores mais perspicazes encontrarão outras referências além destas citadas acima, mas estou orgulhosa por eu não ser tão distraída quanto achava que era.

 Confiram:



0 comentários:

Postar um comentário